Congolês recebe Prêmio de Coragem Civil por cuidar de vítimas da violência sexual

0
216

Denis Mukwege  - Foto: Gfaia Rio – O ginecologista congolês Denis Mukwege recebeu o Prêmio Coragem Civil 2013 pelo seu trabalho no Hospital Panzi, onde ele tratou dezenas de milhares de mulheres que foram estupradas durante a guerra na República Democrática do Congo (RDC).

– Cuidar dessas mulheres mudou completamente a minha vida. Minha profissão como um médico me tornou um testemunho direto de um crime em massa, que é difícil de compreender. Isso ocorre porque a violência sexual atinge o nosso mais precioso recurso: as nossas mães, nossas mulheres e nossas filhas – disse o médico durante a cerimônia realizada em Nova Iorque (EUA), no último domingo.

Denis fundou o Hospital Panzi em 1999, na capital da província de Kivu Sul, na RDC. Especializou-se no tratamento de mulheres que foram violadas por milícias, sendo um dos maiores especialistas mundiais na reparação e tratamento de danos físicos provocados por violação. Tratou dezenas de milhares de mulheres, chegando a fazer mais de 10 cirurgias por dia.

Pelo seu ativismo, ele foi um dos indicados e forte candidato ao Prêmio Nobel da Paz deste ano, vencido pela Organização para Proibição de Armas Químicas.

No ano passado, em um discurso na Organização das Nações Unidas, Denis atacou a comunidade internacional por sua inação na guerra civil de seu país.

Por dentro da África