Brasília: universidade realizará debate para comemorar o “Mandela Day”

0
248

mandela dayCom informações da Fundação Palmares

Rio – Para integrar a campanha Mandela Day, a Universidade de Brasília (UnB) realizará diversas atividades visando a reflexão sobre o racismo no Brasil e a valorização da cultura de matriz africana. O evento acontecerá no Auditório da Fundação Cultural Palmares (FCP/MinC), nesta sexta-feira, a partir das 14h.

Com o objetivo de inspirar pessoas a tomarem medidas que modifiquem o mundo para a paz, as Nações Unidas criaram oficialmente em 2009, o Dia Internacional Nelson Mandela ‒ ou Mandela Day. Desde então, o dia 18 de julho de cada ano é dedicado ao pacifista que, como maiores legados, deixou o fim do apartheid ‒ segregação racial que marcou a história da África do Sul por mais de quatro décadas ‒ e a consciência de justiça social aliada ao respeito e à dignidade.

De acordo com Marcos Moreira, professor do Instituto de Letras da UnB e organizador do evento, o grupo de pesquisa “A Desconstrução como Justiça”, com o apoio da Casa de Cultura da América Latina e do Decanato de Extensão da universidade preparou uma série de atividades chamando a atenção para o espírito de mudança do grande pacifista.

“A meta do Mandela Day é fortalecer novas lideranças interessadas em combater o racismo que não é uma luta apenas das populações negras”, ressalta Moreira, lembrando que grupos como judeus, indígenas e muçulmanos também são alvos de discriminação e que, quando se trata de preconceitos, ainda há muito o que ser feito.

67 minutos – Na data em que se celebra o Mandela Day, a Organização das Nações Unidas (ONU) incentiva que em todo o mundo sejam realizadas ações com pelo menos 67 minutos de serviço comunitário. Cada minuto representa um ano de dedicação de Madiba, como era também conhecido o líder, ao serviço pela humanidade. É um reconhecimento às contribuições feitas por ele como advogado de direitos humanos, combatente da liberdade, prisioneiro de consciência, pacificador internacional e primeiro presidente democraticamente eleito de uma África do Sul livre.

Entre as possibilidades de atuação para os 67 minutos, estão os cuidados com o meio ambiente, a dedicação às crianças, o voluntariado em hospitais, prisões e orfanatos, entre outras. A proposta é que todos participem de algum movimento que vise transformar o mundo em um lugar melhor.

Serviço:

O quê: Mandela Day
Quando: 18 de julho às 14h
Onde: Auditório da Fundação Cultural Palmares
Endereço: SGAN 601, Lote L, prédio da ATP – Brasília

Programação:

14h – 17h: Seminários com mesas de debates

Abertura de trabalhos: Representante da Ministra-Chefe da Secretaria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial, Sua Excelência Luiza Helena Bairros, o senhor Secretário Executivo, Dr. Giovanni Harvey
Embaixador da África do Sul, Sr. MphakamaMbete

Mesa 1: Política da diferença – reduzir desigualdades
Procuradora Federal da Fundação Palmares – Sra. Dora Lucia de Lima Bertulio
Conselheiro de Cooperação e Ação Cultural da Embaixada
da França no Brasil – Sr. Jean-Paul REBAUD

Mesa 2: A Herança de Mandela e outras lideranças na África
Embaixador do Zimbabue Sr. Thomas SukutaiBvuma
Embaixador da Argélia Sr. Djamel-Eddine Omar Bennaoum

Conclusão de jornada
Presidente substituta da Fundação Cultural Palmares – Sra. Martha Rosa Figueira Queiroz
Embaixador da África do Sul Sr. Mphakama Mbete

17h – 20h: Apresentações culturais, lançamentos de livros e encerramento com o Grupo Cultural Batukenjé, Teresa Lopes, Leandro Borges, Grupo Patubatê e o Grupo de Capoeira da Mestre Ju.

Com informações de Daiane Sousa – Fundação Palmares